Sábado é dia de mobilização contra a gripe em Porto Alegre

Porto Alegre realiza mobilização contra a gripe, neste sábado, 30, quando cento e quarenta unidades de saúde estarão abertas das 8h às 17h para vacinar a população-alvo. A abertura oficial será às 9h, com a presença do secretário municipal de Saúde, Fernando Ritter, na sede da secretaria (avenida João Pessoa, 325), que também irá receber a população, servindo para dar suporte aos centros de saúde Modelo e Santa Marta, que tradicionalmente são bastante procurados. Outra opção será a Coordenadoria-Geral de Vigilância em Saúde, que vacinará pessoas da comunidade das 8h às 17h, na avenida Padre Cacique, 372. Clique aqui para acessar a lista e confira o mapa com os locais de vacinação na Capital.

A campanha vai até 20 de maio, sendo uma das ações da Operação Inverno da prefeitura. O público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe inclui pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e pessoas de cinco a 59 anos portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, sendo que a meta da campanha é imunizar pelo menos 80% desse público. De segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, os grupos prioritários têm a opção de se vacinar nas unidades de saúde localizadas nos bairros, sem precisar se deslocar ao centro da cidade.

A proteção conferida pela vacinação é de aproximadamente um ano, por isso é feita anualmente. Estudos científicos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, e de 39% a 75% a mortalidade global. Entre os residentes em lares de idosos, pode reduzir o risco de pneumonia em aproximadamente 60%, e o risco global de hospitalização e morte em cerca de 50% a 68%, respectivamente. Referem ainda redução de mais de 50% nas doenças relacionadas à influenza.

Também há pesquisa indicando eficácia geral da vacina influenza de 67%. A população com maior benefício foi a de adultos HIV positivos entre 18 e 55 anos de idade (76%), adultos saudáveis entre 18 e 46 anos de idade (70%) e crianças saudáveis com idade entre 6 e 24 meses (66%).

Vacinação simultânea - A vacina influenza pode ser administrada na mesma ocasião de outras vacinas ou medicamentos, procedendo-se as administrações com seringas diferentes em locais anatômicos diferentes.

Precauções - Em doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. As pessoas com história de alergia a ovo, que apresentem apenas urticária após a exposição, podem receber a vacina da influenza mediante adoção de medidas de segurança. Recomenda-se observar o indivíduo vacinado por pelo menos 30 minutos em ambiente com condições de atendimento de reações anafiláticas.

Contra-indicações – A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores bem como a qualquer componente da vacina ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Reações anafiláticas graves a doses anteriores também contraindicam doses subsequentes.

Eventos adversos – Os eventos adversos decorrentes da aplicação da vacina contra influenza são de intensidade leve e tendem a desaparecer espontaneamente após 48 horas. Eritema, aumento da sensibilidade, enduração, edema ou dor no local da aplicação foram relatados mais frequentemente, persistindo por um ou dois dias, e febre maior que 38ºC, mal-estar e mialgia.

Meta da campanha é vacinar pelo menos 80% da população-alvo:

– Pessoas com 60 anos ou mais – Meta: 213.003
– Gestantes (em qualquer idade gestacional) – Meta: 14.391
– Puérperas (até 45 dias após o parto) – Meta: 2.366
– Crianças de seis meses a menores de cinco anos – Meta: 6 meses a menores de 2 anos = 28.782; 2 anos a 4 anos 11 meses e 29 dias = 46.546
– Povos indígenas – Meta: 507
– Pessoas de cinco a 59 anos portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (conforme listagem definida pelo Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas) – Meta: 207.642
– Trabalhadores da área da Saúde (todos os trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade) – Meta: 74.924
Total estimado – 588.161

Tratamento – O medicamento Oseltamivir (Tamiflu®) está disponível nas unidades de saúde e farmácias da rede de atenção do município de Porto Alegre. Para receber o tratamento, o paciente dever ter receita médica válida e dirigir-se a um dos locais de entrega. Em finais de semana e feriados, o medicamento pode ser obtido nos pronto atendimentos. As apresentações disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) são Oseltamivir 30mg, 45mg e 75mg. Para a prescrição do medicamento, é usado o receituário simples. Segundo o Ministério da Saúde, o medicamento é usado no tratamento de pacientes sintomáticos e não como prevenção.

Prevenção – Para evitar a disseminação da doença, são necessárias medidas simples, como lavar as mãos com frequência, com água e sabão ou utilizando álcool gel; proteger a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, cobrindo-os preferencialmente com a dobra interna do cotovelo, evitando o uso das mãos; usar lenços de papel; manter os ambientes arejados, com bastante circulação de ar. Ter uma dieta equilibrada, consumindo alimentos saudáveis, contribui para conservar a imunidade alta. Se apresentar sintomas, procurar atendimento médico e tentar evitar locais com aglomeração de pessoas, como emergências hospitalares, escolas, transporte público, centros comerciais, entre outros.

Você também pode se interessar por...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>